Fotos: internet

saíba mais
24 de Março, 10:39

Milho: Plantio atinge 96% da área, mas número segue abaixo da média

 

De acordo com levantamento da consultoria AgRural, os trabalhos estão encerrados em Mato Grosso, mas ainda há áreas por plantar em todos os outros estados

 

    O plantio da segunda safra de milho da temporada 2019/2020, a safrinha, chegou na quinta-feira, 19, a 96% da área estimada para o Centro-Sul, contra 100% um ano atrás e 97% na média de cinco anos.

De acordo com levantamento semanal divulgado pela consultoria AgRural, os trabalhos estão encerrados em Mato Grosso, mas ainda há áreas por plantar em todos os outros estados, e agora a janela já está fechada até nas regiões mais tardias.

Final complicado

Os preços altos do milho, puxados pelo câmbio, estimulam os produtores a continuarem semeando. O tempo quente e seco, porém, pode fazer com que áreas pontuais fiquem sem plantar e áreas já semeadas, mas prejudicadas pela falta de umidade, não tenham replantio.

A AgRural divulgará uma revisão de sua estimativa de área na primeira quinzena de abril. No início de março, foi projetado aumento anual de 3%.

Focos de atenção

Os estados que mais inspiram cuidados são Paraná e Mato Grosso do Sul. As chuvas da semana passada foram bem-vindas, mas não bastaram para repor a umidade do solo. Também há apreensão em São Paulo. Nos três estados, o tempo deve ficar seco nesta semana, mas há chuva prevista a partir de sábado (28).

Soja

Dados da AgRural mostram que a área cultivada com soja na safra 2019/2020 do Brasil estava 66% colhida até a última quinta-feira, 19, contra 67% um ano atrás.

Com os trabalhos praticamente encerrados em Mato Grosso, entrando na reta final em Mato Grosso do Sul e Goiás, e avançando bem no Paraná, o foco segue no Rio Grande do Sul.

Novos cortes na safra gaúcha

O estado gaúcho recebeu apenas chuvas leves e esparsas na semana passada e continuou enfrentado altas temperaturas – combinação que não dá trégua para as lavouras mais tardias. Por isso, o Rio Grande do Sul deve ter novo corte de produtividade na estimativa de abril, após três reduções consecutivas desde o início do ano.

Também há perdas pontuais em Santa Catarina e em áreas isoladas do Paraná, que serão avaliadas pela AgRural em sua revisão de safra do mês que vem.

No início de março, a AgRural reduziu sua estimativa de produção do Brasil para 124,3 milhões de toneladas, com as perdas do Rio Grande do Sul sendo parcialmente compensadas pelas boas produtividades de outros estados.

Texto: Canal Rural

Notícias relacionadas